Nas últimas semanas, os moradores de São Cristóvão estão notando modificações significativas em diversas ruas da cidade. Nos loteamentos Tijuquinha e Jardim Universitário, os técnicos já começaram o processo de medição e implantação de poços de visitas (bueiros) e de bocas de lobo. Já nos conjuntos Madalena de Góis e Luiz Alves, algumas ruas já estão ficando prontas ou em processo de finalização. De acordo com as datas contidas nas ordens de serviços, assinadas pelo prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana, pelos próximos oito meses, dezenas de ruas ganharão obras de infraestrutura.

No Madalena de Góis, a rua E já está pronta, enquanto as ruas C, A e B estão em diferentes processos de feitura das obras, mas todas em adiantamento. Segundo Luciana Farias Costa, que mora há sete anos no Madalena de Góis, o convívio com a poeira e a lama estão ficando no passado. “Pedíamos providências e nada era feito. Agora, a mudança é de verdade e acredito que quando a obra finalizar teremos uma rua bonita, onde possamos andar com mais tranquilidade, sem pisar em lama, nem sofrer com a poeira invadindo nossas casas”, disse.

Para Nelma Maria de Jesus Fraga, comerciante da região, as obras no Madalena de Góis valorizarão seu estabelecimento. “Facilitará nossas vida, pois teremos um conjunto organizado, com ruas pavimentadas. Para nós, que trabalhamos com produtos alimentícios, é essencial apresentarmos um lugar limpo, que seja atrativo para os nossos clientes, e com certeza, agora, isto vai acontecer. Vejo que o prefeito está trabalhando pra mudar os problemas enfrentados pelos moradores daqui”, enfatizou.

A entrada do Luiz Alves, pelas imediações da Escola Raimundo Francisco dos Santos, já está pavimentada, esperando apenas alguns acabamentos. Isto já deu uma nova cara à região. A mesma realidade já é sentida pelos moradores da Travessa 3, onde as obras estão em fase de conclusão também. “Moro aqui há 11 anos e sempre foi um abandono, então quando vejo a rua ganhando vida fico contente. Nós moradores estamos sentindo essa melhoria em nossas vidas. O prefeito veio até aqui e conversou com a gente e nós demos um voto de confiança a ele. Pelo o que estamos notando, o prefeito está cumprindo o prometido. E quem não acreditava que a situação iria melhorar, já começou a acordar para a nova realidade”, enalteceu Elizabeth dos Santos.

Tijuquinha e Jardim Universitário

Pela complexidade dos projetos, as ruas do Tijuquinha estão em fase de estudo de área. Diariamente, os técnicos avaliam o solo, medindo terrenos e escolhendo onde acontecerão as implantações dos pontos de visitas (bueiros), para iniciarem, na sequência, as obras de pavimentação. “Estávamos há muitos anos esperando essa notícia e agora vemos que a prefeitura está realmente fazendo alguma coisa aqui no Tijuquinha. Antes, nós mesmos é que colocávamos cascalhos para amenizar os problemas com as enchentes, mas quando a obra terminar isto não será mais preciso. Teremos uma rua descente”, frisou Marinalva dos Santos.

A mesma euforia foi demonstrada pela moradora, Célia Cláudia da Conceição Medeiros, que reside na região há apenas seis meses. “Peguei o pior período, com as chuvas de maio. Ficou intransitável, muita lama, nem carro subia a ladeira. Vivíamos num total abandono, mas vejo que esta situação vai ser anulada e vamos ter rua bem feita pra gente andar”, disse. Para Ademir Vieira, residente há 25 anos no Tijuquinha, o sofrimento vívido por ele e seus vizinhos em breve não passará de recordações. “A vida da gente era só padecer, mas sei que com as obras daqui, tudo deva mudar. Ninguém merece ter que viver com os pés na lama, aguentando poeira, sofrendo com tanto abandono. Estamos acreditando no trabalho de Marcos Santana. Agora vai!”, pontuou.

No Jardim Universitário, as obras também já iniciaram. Começando pela antiga rua A, hoje conhecida como Dona Carlita, os técnicos já construíram dois poços de visita e estão implantando a drenagem daquela localidade. “A gente respirava poeira aqui e até no prato, na hora de comer, encontrávamos poeira. Nós desejamos é que isso aqui melhore, estamos esperançosos que este calçamento traga uma vida melhor pra todos nós. Sei que trará”, disse Maria José dos Santos.

Avaliação

Segundo o diretor de projetos e orçamento da Secretaria de Infraestrutura, Rafael Gila, os trabalhos estão dentro do planejado e já podem ser considerados satisfatórios. “Algumas ruas já estamos finalizando, também estamos em fase de avaliação de alguns projetos, adequando-os à realidade que estamos encontrando, porém, tudo está dentro do planejado. Pelo adiantar das obras, nossa expectativa é que possamos cumprir o cronograma antes dos oitos meses do prazo previsto”, concluiu.

 

Fotos: Márcio Garcez.