São Cristóvão passou nos últimos anos por uma situação paradoxal em relação à água: apesar de ser um município rico em recursos hídricos, a população vivenciou a falta de água nas torneiras dos domicílios, ou o acesso a um produto de má qualidade. O fato ocorreu pela inexistência da gestão da água como uma política de governo, caracterizada, entre outros aspectos, pelo completo abandono em que se encontrava o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), órgão responsável por gerir o setor na esfera pública. 

Uma realidade que se transforma na atual administração municipal. Os sancristovenses já têm o abastecimento de água normalizado- com interrupções pontuais decorrentes de manutenções e problemas técnicos-, e começa a ampliação e a universalização dos serviços. Tem mais: segundo atestam instituições de referência do segmento, como a Universidade Federal de Sergipe (UFS), a água consumida pela comunidade local, hoje, é de boa qualidade, após uma mudança no tratamento do produto que chega às casas da população.  

Neste novo contexto, o diretor-presidente do Saae, Carlos Melo, levanta um aspecto que precisa ser encarado como uma responsabilidade coletiva: o consumo responsável da água. “É importante valorizar a água e entender que é um bem finito. Temos que usá-la com responsabilidade e consciência, nas ações simples, cotidianas. É necessário que entendamos que esta é uma preocupação de todos, da humanidade. O meio ambiente agradece, e as futuras gerações também”, defendeu o diretor.   

Pensando na necessidade da conscientização sobre o consumo responsável da água, transformando atitudes pontuais em práticas cotidianas, o Saae de São Cristóvão dá algumas dicas que podem contribuir para garantir o acesso de todos, hoje e amanhã, a este preciso bem. Confira: 

Feche a torneira
Ao lavar as mãos ou a louça, não deixe a torneira aberta todo o tempo. Isso evitará que vários litros de água tratada sejam desperdiçados; 

Hora do banho
Seja rápido no banho. Cada 5 minutos embaixo do chuveiro ligado consomem aproximadamente 70 litros de água;

Basta um copo
Para escovar os dentes é necessário apenas um copo de água. Evite deixar a torneira aberta;

Use a vassoura
Antes de lavar a calçada, use vassoura. Jamais use a água da mangueira para “varrer”a sujeira;

Economia
Diminua as descargas. Regule periodicamente a válvula hidra ou a caixa de descarga;
 
Lavando roupa
Junte roupas para lavar todas de uma só vez. Aproveite a água usada no tanque ou na máquina para lavar calçadas;

Tá pingando!
Os maiores ladrões de água são vazamentos, torneira pingando e descarga desregulada. Faça manutenção regularmente;
 
Carro limpo
Use baldes, e não a mangueira, para lavar o carro. Seu automóvel fica limpo e a economia pode chegar a 300 litros de água;
 
Fazendo a barba
Não faça a barba com a torneira aberta o tempo todo. Use a água somente para molhar e enxaguar o rosto;

Tá na mão
Lavar as mãos com a torneira aberta o tempo todo causa um grande desperdício. Ao ensaboar as mãos, deixe a torneira fechada;
 
Reaproveite
A água do último enxágue das roupas, no tanque ou na máquina, pode ser usada para ensaboar tapetes, tênis, cobertores, pisos e calçadas;
 
Gaste menos
Ao lavar a louça, encha a cuba de água e deixe-a fechada. Evite deixar a torneira aberta, enxágue a louça toda ao final da lavagem. Assim, o gasto de água é bem menor;
 
Lixo no lixo
Nunca jogue papéis no vaso, porque há maior consumo de água para mandar esse lixo embora;
 
Viajou? Fechou
Quando viajar, feche o registro do cavalete de entrada de água, evitando desperdícios e vazamentos.
 
Fotos: Danielle Pereira/Jamisson Souza
 


Carlos Melo, diretor-presidente