Nos últimos dias, o programa Tempos Novos (parceria da Prefeitura de São Cristóvão e “Sistema S” (SENAC, SENAI, SEBRAE, SENAR, SEST/SENAT, através da Secretaria de Assistência Social e do Trabalho - Semast) encerrou os cursos de: Informática Básica, Confecção de Peças Íntimas e Eletricista Instalador Predial formando mais de 150 jovens. Com esta iniciativa, a gestão municipal vem promovendo a qualificação dos sancristovenses sempre com foco no mercado de trabalho, contribuindo para o empreendedorismo e embasando assim quem pretende iniciar ou expandir um negócio. A entrega dos certificados acontecerá no próximo dia 05 de outubro no Centro Administrativo (Paço Municipal), antigo Lar Imaculada Conceição).

De acordo com o diretor de trabalho da Semast, Melquíades Freitas, cada aluno formado significa um laço de comprometimento entre a Prefeitura de São Cristóvão e a qualificação da população. “É muito recompensador para todos nós vermos estes alunos e alunos terminando seus cursos, cheios de expectativas para trabalhar. São jovens, a maioria entre 18 e 25 anos, com pique para encarar o mercado de trabalho de peito aberto, buscando seus sonhos. Para a equipe da Semast este é o resultado de um trabalho de formiguinha, que começou em janeiro e que já vemos os primeiros passos agora. Estamos resgatando a autoestima do povo sancristovenses, dando qualificação a partir de nossas parcerias com o Sistema S (fonte inesgotável de qualificação profissional)”, disse.

“Divas da Costura”

Foram 160h de muito aprendizado e costura, mas as meninas do curso de Confecção de Peças Íntimas se despediram com a certeza de que aprenderam um ofício para o resto de suas vidas. “Sou artesã e já fazia bordados, mas não tinha experiência com peças íntimas. Agora posso exercer mais este tipo de costura. Vou costurar em casa, tenho minha lojinha e vou inserir algumas peças íntimas para que minhas clientes comprem mais esta produção”, disse Núbia dos Santos. Já Maria Anair dos Santos Reis, que trabalha na confecção de bonecas, aprender a costurar peças íntimas já trouxe boas perspectivas de trabalho. “Já sabia costurar e vim aprender a teoria, além de tirar alguns vícios do cotidiano que a gente vai adquirindo na hora de sentar na máquina de costurar. Fiz até uma calcinha para minha irmã e ela gostou, então sei que estou trabalhando bem. A partir de agora farei algumas peças Adorei o curso”, completou.

A professora, Adriana Alves do Monte, elogiou o empenho dos alunos e enalteceu o trabalho dos últimos meses. “Mesmo quem nunca pegou numa agulha sairá daqui com experiência para trabalhar em indústria ou até mesmo em casa. O mundo da costura é amplo e se a pessoa buscar conseguirá trabalho, capacitação elas já possuem”, enfatizou. As peças produzidas no curso serão destinadas às instituições de caridade.

Informatizados

As duas turmas do curso de Informática Básica sairão afiadas para a área administrativa, mais especificamente para o setor que envolve edição de textos, planilhas e outros assuntos relativos à parte digital primária de uma empresa. Segundo o professor, Wallace Oliveira dos Santos, o resultado final foi satisfatório. “Notamos o desempenho dos alunos, e ficamos muito felizes em facilitar o acesso dos mesmos ao mercado de trabalho, através do setor de informática”, pontuou.

Para Corália Carmo de Jesus, o curso trouxe novidades e a atualizou para o mercado de trabalho. “Fiz um curso assim há muitos anos e precisava dessa revitalização para me aperfeiçoar ainda mais. Sei que hoje, se surgir um trabalho que me exija conhecimento nestas áreas, certamente, me sairei muito bem. O curso foi um facilitador”, frisou. Para Robert Lima dos Santos, a capacitação lhe mostrou que o mundo da informática é muito maior do que o que ele imaginava. “Foi a primeira vez que fiz um curso assim, e mesmo já utilizando o computador de forma aleatória, hoje, eu aprendi que existem muito mais coisas que podemos desenvolver usando as máquinas e os softwares. O método de ensino foi surpreendente, com aulas bem dinâmicas. Tenho paixão por informática e quero aprende mais ainda”, disse.

Elétricos

Segundo observou David Dantas, professor que ministrou o curso de Eletricista Instalador Predial, a capacitação permitirá que estes novos profissionais exerçam a função com a qualificação que o mercado busca. “Poderão trabalhar tanto como autônomos quanto em empresas do ramo. Sabem instalar a eletricidade de uma casa e de um apartamento também. Estes alunos poderão, inclusive, se conectarem para abrir uma cooperativa entre eles, o que facilitaria a inserção no mercado de trabalho”, disse.

Para Francielly Ferreira, o curso veio completar uma formação que ela já havia adquirido. “Aproveitei para aperfeiçoar alguns pontos e somar novos conhecimentos. O curso me abriu as portas também para trocar experiências com novos colegas e assim aumentar o fluxo de contatos de trabalho. Valeu a pena participar”, pontuou. Segundo Matheus Mota Santos, que também participou da capacitação, este foi o primeiro passo do caminho que ele presente trilhar no futuro. “Em minha família tenho vários parentes que já estão na área; um tio engenheiro elétrico, e eu quero trabalhar neste setor. Hoje, me vejo como um profissional qualificado para atuar dentro das perspectivas que o mercado exige. Estou preparado”, finalizou.

Fotos: Danielle Pereira


Núbia dos Santos
Maria Anair dos Santos Reis
Silvia Regina
Adriana Alves do Monte (professora)
Robert Lima dos Santos
Corália Carmo de Jesus
Francielly Ferreira
Matheus Mota Santos
David Dantas