O Festival de Artes de São Cristóvão (FASC) sempre foi, em sua essência, uma importante vitrine cultural para todas as expressões artísticas. Assim, nas edições passadas servia de palco para artistas nacionais, estaduais, mas também reservava uma importante parcela de sua programação para os fomentadores culturais do próprio município. Na 34ª edição do FASC, que acontecerá de 01 a 03 de dezembro, não poderia ser diferente, e a organização do evento resguardou que a chamada “prata da casa”, neste caso ouro, tenha sua participação ativa, em todos os nichos culturais que marcam a festa.

Segundo o dançarino Nelson Santos, responsável pela companhia que leva o seu nome, participar outra vez do FASC é a certeza do reconhecimento dos quase 20 anos de carreira. “A Cia. De Dança Nelson Santos é sancristovense e estará no FASC apresentando nosso mais recente espetáculo “Alma de Artista”, onde buscaremos homenagear esta categoria em todas as suas vertentes. Para nós, estarmos na programação do festival nos enche de satisfação, pois entendemos a importância do mesmo para o cenário cultural do nosso estado”, disse.

Nelson relembrou que antes do hiato de 12 anos, que separa esta nova edição do FASC da sua última, a companhia dele também fez parte da programação e foi um divisor de águas para os dançarinos. “Esta será a sexta vez que nos apresentaremos no FASC e lembro que da última vez vimos uma praça lotada, todos aplaudindo nossos dançarinos. Muita gente, da própria cidade nem sabia que éramos sancristovenses, por isto julgo ser fundamental estarmos dentro da programação. Sei que esta retomada será um marco para a cultura sergipana e estamos emocionados de fazer parte disso tudo”, concluiu.]

Música. Os meninos de “Os Tabaréus Grupo de Choro” também vão aportar no FASC. Como São Cristóvão tem tradição no cenário do chorinho, a programação abrange este importante estilo musical e contemplou a participação desta banda, que em sua essência é sancristovense. O grupo, que existe há quatro anos, nasceu das bases da Lira Sancristovense de Música, pelas mãos dos músicos André Lima e Jeovane Lima. “Nossa participação no FASC nos deixou felizes tanto pelo retorno em si do evento quanto pela trajetória do grupo, pois temos sancritovenses em nossa banda, daí será um momento de contribuir para a história deste importante festival”, pontuou Alexandre Azevedo.

Outros músicos e cantores do município também integrarão o FASC. Segundo o presidente da Fundação de Cultura e Turismo João Bebe-Água (Fundact), Gaspeu Fontes, a escolha aconteceu por convite e também por credenciamento. “O FASC não é apenas um festival local, mas um amplo cenário para a cultura do estado e do nosso País. A participação dos sancristovenses é tão fundamental quanto às participações dos outros integrantes. Sabemos que o festival sempre foi uma referência, justamente por abranger a magnitude que a cultura necessita. Estamos satisfeitos com os sancristovenses integrantes e sabemos que nossos artistas farão apresentações maravilhosas, totalmente integrados com o nosso tempo, com nossas raízes artísticas. Somos um povo criativo, que sempre viveu da arte e ao mesmo tempo generoso, sabemos receber nossos convidados. O que importa é que ao final do FASC a cultura seja enaltecida, e o prefeito Marcos Santana está trabalhando para que isto aconteça”, enfatizou Gaspeu.

Escrita. Quando se fala em Literatura de Cordel em Sergipe se pensa, certamente, em Alda Santos Cruz. Nome forte e atuante desta arte, ela participará do FASC mostrando toda sua genialidade. Dona Alda, como é bastante conhecida no município, não é filha da cidade, mas foi aqui que trabalhou e se tornou cordelista. Segundo relatou a escritora, o festival servirá para mostrar duas obras assinadas por ela, que trazem fortes referências sancristovenses.

“Vou mostrar dois cordéis: As Marisqueiras de São Cristóvão, onde retrato o cotidiano destas mulheres batalhadores e que fazem parte do dia-a-dia da cidade e também apresentarei “Visite São Cristóvão”, outra obra enaltecendo a cidade. Me sinto honrada em fazer parte da programação do festival e agradeço o apoio que recebi para esta participação. Sei da importância do FASC para a cidade e já quero estar nas próximas edições também”, enfatizou.

Além de Alda Cruz, o FASC abrigará inúmeras atividades envolvendo os membros da Academia Sancristovense de Letras. De acordo com o diretor de turismo da Fundact e membro da academia, Thiago Fragata, os imortais do município farão uma grande intervenção literária no sábado, contemplando uma contação de história sobre as lendas do município. “Vamos contar aos visitantes, e para o nosso público em geral, detalhes sobre as vidas de: João Bebe-Água, Rita Cacete e também traremos detalhes sobre a imagem de Senhor dos Passos. Nossa intenção é propagar para o maior número de pessoas possível quem são estes símbolos de nossa cidade, e nada mais favorável do que fazer isto dentro do FASC”, disse.

Fragata ainda revelou que os alunos da 5ª série do Colégio Lar Imaculada Conceição lançarão o terceiro livro deles, intitulado “Transformar...poesia de criança”. “Vamos envolvê-los também no contexto do festival, trazendo estes jovens escritores para vivenciar o mundo da letras e toda a sua magia”, frisou.

Visuais. Romário Silva, diretor do documentário “A Fina Malha do Tempo” será mais um sancristovense que fará parte do FASC. Ele, que realizou este trabalho baseado na história da formação do próprio festival, aproveitará o evento para mostrar (em vídeo) o que foi a formação inicial do mesmo, brindando o público com uma inserção no mundo do FASC.

“Sabia que o festival tinha começado de forma alternativa, e que a participação da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e a sociedade, na época, tinham transformado o mesmo, dando este formato. Então, ao concluir o curso de Audiovisual me vi desenvolvendo este trabalho de resgate histórico do FASC. Quando o rodei, em 2015, não existia a possibilidade de reviver a festa e naquele momento eu não podia prever que hoje estaria com o meu filme sendo exibido numa nova edição do festival. Vê o FASC retornar é interessante por dois aspectos: por ver que meu filme será visto por um número muito grande de visitantes e pela alegria, em si, de presenciar este resgate de algo tão importante para a nossa cidade”, finalizou.

*Outros nomes importantes de São Cristóvão que também estarão da programação do FASC:


José Austerio Pinto Neto (exibição do filme Rosa Importa: A UFS e o bairro Rosa Elze).
Reginaldo Daniel Flores (exibição do filme Indunnu).
Escola de Dança Rick di Karllo.
Espaço Formas Escola de Dança.
Samba de Coco da Paz.
Filarmônica de São Cristóvão
Caceteira de Mestre Rindú.
Chegança de Mestre Rindú.
Nivaldo Oliveira.
Reisado de São Cristóvão.
Cidade Dormitório.
Reisado Senhor dos Passos.
Taieira de São Cristóvão.
Ferdinando Blues e Mateus Santana.
Cia de Teatro Pro Cena.
Passos.
Paulo Sérgio Cronos.

*A programação completa poderá ser encontrada nas redes sociais da Prefeitura de São Cristóvão ou nos perfis do FASC no Facebook e no Instagram.


Nelson Santos
Alda Cruz
Os Tabaréus (foto de Mayara Andrade).
Romário Silva