Desde o último dia 02 de janeiros, as escolas da Rede Municipal estão realizando as matrículas dos estudantes sancristovenses. Este ano, a Secretaria de Educação está realizando uma campanha para conscientizar pais e responsáveis sobre a importância de deixar seus filhos estudando nas proximidades de suas residências. O processo de matrícula continuará até o próximo dia 31 de janeiro.

Segundo a diretora pedagógica do município, Walléria Macário, os servidores da Secretaria de Educação vêm trabalhando para desmistificar a ideia de que apenas as escolas do Centro Histórico ou da área urbana do Grande Rosa Elze são as melhores. “Na verdade, a gestão está empenhada para que todas as nossas escolas ofereçam um ensino de qualidade para nossas crianças e adolescentes. Estamos fomentando a consciência de que as escolas da zona rural ofertam o mesmo ensino, trabalham a parte pedagógica da mesma forma, com o mesmo material didático e empenho dos nossos profissionais”, informou.

Neste contexto, a diretora ainda enfatizou os aspectos relacionados com o cotidiano das crianças, enquanto moradores das proximidades das escolas. “Estudando perto da escola, as crianças terão mais acesso, disposição para o aprendizado, além de promover a identidade do estudante enquanto morador da região em si. Fazendo-o se sentir pertencente de sua localidade, fortalecendo os vínculos com a própria comunidade”, disse Walléria.

A Secretaria Municipal de Educação criou em 2017, o Núcleo de Escola no Campo, que atua em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS), focado justamente na melhoria do nível educacional do município, através de ações para professores e diretores das escolas da zona rural. “O êxodo que existe das escolas rurais para as escolas do centro acaba criando um processo complicado para os próprios estudantes do centro, uma vez que as vagas ficam escassas para estes. Precisamos repensar essa ida para as áreas urbanas, sendo que no próprio campo, crianças e adolescentes têm acesso ao mesmo ensino”, finalizou.

Em São Cristóvão, 18 escolas do campo são geridas pelo munícipio e outras quatro possuem respaldo (administrativo) do estado.

Fotos: Danielle Pereira.


Walléria Macário