As condições meteorológicas influenciam diretamente no processo de proliferação de mosquitos Aedes aegytpi, que além da dengue pode causar chikungunya, zika e outras doenças. Para evitar a proliferação do mosquito, a Prefeitura de São Cristóvão, através da Secretaria de Saúde, segue com trabalho de combate ao mosquito em diversas regiões da cidade.

Equipe dos agentes de combate a endemias, diariamente, realizam visitas nas residências tanto do Centro Histórico quanto do Grande Rosa Elze realizando pulverização com bomba costal e trabalho de conscientização com a população. “Juntamente ao trabalho de prevenção realizado pelos agentes de combate a endemias realizamos, em parceria com o programa Saúde na Escola, campanha educativa de conscientização com os estudantes, trabalho que acontece desde o início da gestão”, disse a coordenadora de saúde do município Daniele Rodrigues.

A coordenadora ainda orientou sobre os cuidados que a população deve ter para evitar criadouros do mosquito, incluindo fazer da inspeção um hábito semanal. “São regras básicas que são repetidas sempre, mas que todos nós enquanto cidadãos devemos seguir: manter a caixa d’água fechada, não deixar água parada, garrafas sempre de cabeça para baixo, pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda e pneus velhos em locais cobertos para evitar o acúmulo de água”, destacou Daniele Rodrigues.

O mosquito

O Aedes aegypti é um mosquito da família Culicidae, geralmente confundido com um pernilongo pelo o seu tamanho (5 a 7 milímetros), menor comparado a outras espécies de mosquitos. Possui o corpo predominantemente negro com listras ou manchas brancas (característica do gênero Aedes). Suporta temperaturas entre 5°C e 42°C, sendo que a temperatura ótima do ambiente se mantém em torno de 36°C, podendo ter suas atividades reduzidas à espera de temperaturas favoráveis. Habita principalmente áreas urbanizadas, tendo como local de repouso paredes em ambientes fechados.


Daniele Rodrigues